Academia WordPress

O mais completo guia SEO para WordPress

WordPress é um dos melhores, se não o melhor, sistemas de administração de conteúdo quando se trata de SEO – Search Engine OptimizationOtimização de Mecanismo de Busca. Com isso em mente, se dedicar ao SEO do seu WordPress pode parecer perda de tempo, mas na verdade deveria ser uma das suas prioridades. Otimizar seu site com as melhores práticas – que serão detalhadas nesse guia – vai te ajudar a melhorar sua posição nas buscas, aumentar seu tráfico e melhorar o seu blog ou site como um todo.

Esse guia foi baseado completamente nas instruções dadas pelo Yoast, criador do melhor plugin gratuito de SEO para WordPress.

wordpress-seo-by-yoast

Esse plugin é constantemente atualizado, isso significa que ele acompanha toda modificação que os mecanismos e redes sociais promovem na indexação dos sites. Ter um SEO alinhado no seu WordPress é a chave para ficar nas primeiras posições e bem engajado socialmente, por isso é muito importante que você siga essas instruções.

1 – Básico do SEO WordPress

Fora da caixa, WordPress é um sistema bem otimizado e faz um trabalho muito melhor em permitir cada pagina ser indexada do que qualquer outro CMS que já usamos. Mas há algumas coisas que você pode fazer para torna-lo ainda mais fácil de se usar.

1.1 – URLs

1.1.1 – Estrutura de Permalinks

A primeira coisa a mudar é a sua estrutura de permalinks – URLs amigáveis. Você vai encontrar as configurações do permalink em: Configurações -> Permalinks. O permalink padrão é:

  • ?p=

Essa estrutura é perigosa e, além de não ser muito amigável para o seu visitante, ela pode comprometer a sua segurança. Nesse caso as opções indicadas a serem usadas são:

permalinks-no-wordpress

  • /nome-do-post/ : /%postname%/
  • /categoria/nome-do-post/ : /%category%/%postname%/

Nas configurações você só precisará selecionar a caixa 4 que ele automaticamente coloca a opção de nome-do-post, porém para adicionar a opção com categoria você precisará escrever o código acima – aquele com % no meio – e a configuração será feita. Se você já tinha conteúdo usando ?p= o WordPress vai corrigir e padronizar todos para a nova opção de URL amigável.

1.1.2 – Com ou sem WWW na URL

Você precisa decidir sobre como você quer que seu site apareça no campo de URL do navegador: www.exemplo.com ou exemplo.com. Você altera a sua URL acessando Configurações -> Gerais.

com-ou-sem-www-no-wordpress

Você também vai querer colocar isso corretamente no Google Webmaster Tools. Primeiro, é claro, tenha certeza de que seu WordPress está conectado ao Google Webmaster Tools e você pode encontrar essas opções em Configurações -> Domínios de Preferência.
opcoes-de-url-google-webmaster-tools

 

 

1.1.3 – Stop Words

Outra coisa que você vai querer alterar sobre suas URLs amigáveis, consequentemente melhorando seu SEO, é remover as chamadas Stopwords. Palavras ou letras como: a, ou, então, em, o e etc. Usando o plugin de SEO do Yoast você tem uma facilidade muito bacana que é a remoção automática dessas palavras assim que você salvar o seu artigo.

Não é indicado que faça essa mudança depois que você já publicou um artigo, principalmente se for um post antigo. Se algum visitante salvou sua URL antiga ou deixou ela guardada, com a mudança tem uma chance de não ficar mais acessível a esse visitante. Na maioria dos casos o WordPress deve redirecionar a antiga URL para a nova e isso não correr você deverá fazer o redirecionamento manualmente.

1.1.4 – Para SSL ou não.

Em 2014, a Google anunciou que dariam um benefício em ranking para sites HTTPS/SSL e por conta disso, cada vez mais os sites tem se convertido a SSL.

Procure se informar melhor sobre a aquisição de um certificado SSL para o seu WordPress e para adiantar a sua pesquisa nós indicamos a NameCheap para sua compra. Lá você consegue comprar certificados a partir de $9 da certificadora Comodo ou RapidSSL. 

1.2 – Otimize seu título para SEO

O título – que é o conteúdo da tag <title> – é um dos fatores mais importantes para ranking do resultado da busca. Não só é o título da aba/guia ou janela do navegador, mas também é a primeira linha que os usuários verão no resultado de pesquisa, seguido da URL e o snippet que geralmente a meta descrição combinada com a data.

exemplo-de-snippet-wordpress

Em vários blogs encontrados nas buscas, o título do artigo ainda é: Título do blog » Arquivo do Blog » Palavra Chave ou Título do blog » Palavra-chave. Para o seu blog WordPress ter um alto tráfego, será preciso mudarmos essa disposição do título por duas razõe:

  • Mecanismos de busca colocam mais peso nas primeiras palavras, então se suas palavras chave estão no começo do título da página você tem mais chances de ter um bom ranqueamento.
  • Pessoas procurando resultado enxergam as palavras inciais primeiro. Se suas palavras- chave estão no começo do seu título a chance do seu artigo ser clicado é muito maior.

Isso significa que o título ideal para esse guia seria: Guia SEO para WordPress – Academia WordPress. Já que estamos levando em consideração as palavras Guia SEO e WordPress como os focos dessa publicação.

O Plugin do Yoast controla esses títulos de forma automática para o caso de você esquecer ou ficar com preguiça de revisar seus artigos antigos.

1.2.1 – Controlando títulos com o plugin WordPress SEO

Você pode controlar seu título SEO com o plugin WordPress SEO do Yoast e essa configuração é feita em duas etapas. Primeiro, assim que você instala e ativa o plugin, uma nova seção de configuração aparecerá na sua área de administração do WordPress. Navegue para SEO -> Títulos & Metas e você verá várias abas para diferentes tipos de páginas em seu site. Para cada tipo de post e taxonomia você consegue determinar a disposição do título para suas publicações.

configuracao-de-titulos-wordpress

 

Existem várias opções que você pode usar em títulos e meta descrição, elas estão todas listadas e explicadas na aba Ajuda no topo direito da página do plugin.

Verifique se o modelo está funcionando corretamente e você não está ficando com título duplicado, por exemplo. Se esse for o caso você pode ter que marcar a caixa Forçar reescrita que está na mesma página.

Para outras páginas, você terá as seguintes opções:

  • Categorias, Tags e outras taxonomias: %%term_title%% %%sep%% Archives %%page%% %%sitename%%
  • Páginas de busca: você pesquisou %%searchphrase%% %%sep%% %%sitename%%
  • Pagina 404: Pagina não encontrada – Erro 404 %%sep%% %%sitename%%
  • Arquivo do Autor: %%name%% %%sep%% Author at %%sitename%%

O código de template %%sep%% é substituído por um separador que você seleciona na primeira aba de configuração do plugin:

primeira-aba-de-configuração-wordpress-seo

 

1.2.2 – Otimizando um post individual

Agora que nós organizamos os modelos de Título de maneira correta, podemos começar a otimizar páginas e artigos individualmente. Pra isso usaremos o Snippet de pré-visualização que o Plugin de WordPress SEO adiciona dentro das páginas de edição.

snippet-de-edicao-wordpress

Essa pré-visualização vai automaticamente pegar os valores que você preencheu no seu artigo e montar uma pré-visualização de como eles apareceriam no Google, que é o buscador usado como base. Se o modelo não cair bem para aquele artigo e você quiser montar manualmente basta preencher os campos que estão logo abaixo do Snippet.

edicao-manual-do-snippet

A entrada vai mostrar um aviso se o título ou a descrição forem muito longos para os buscadores. Esse limite é medido em caracteres.

Mais algumas informações importantes sobre os Títulos:

  • Eles devem sempre conter o nome do seu site, de preferência no final, para que as pessoas possam te reconhecer em suas buscas.
  • Títulos devem sempre conter a palavra-chave que você focou como mais importante para o post/pagina atual, que podemos chamar de Palavra em Foco. A palavra em foco deve, preferencialmente, estar no começo do título e o resto do título deve atrair as pessoas a clicarem.

1.3 – Otimizando suas Descrições

Agora que já temos títulos propriamente otimizados, nós podemos nos focar nas meta descrições. A meta descrição é usada pelos mecanismos de busca para mostrar um conteúdo resumido da sua publicação, como se fosse um Spoiler do que você vai encontrar no artigo inteiro. A meta descrição geralmente aparece apenas quando contem a palavra chave que o pesquisador está procurando.

Outros plugins SEO disponíveis para WordPress – especialmente o All-in-One SEO – usam uma descrição automática para o campo, usando a primeira sentença do artigo. Isso não é muito inteligente já que a primeira frase do seu post pode não a palavra em foco definida ou ainda não fazer sentido em relação ao assunto principal.

Uma descrição bem escrita no seu artigo pode ser metade do caminho para um bom posicionamento nas pesquisas, por isso não deixe no automático. Lembre-se que na optimização para mecanismos de busca não existem atalhos e você precisará ter cuidado com algumas automatizações.

Então, use o campo de meta descrição que está no WordPress SEO para escrever a meta descrição. Tenha certeza de atrair o leitor a clicar no seu link e certifique-se de que contém a Palavra em Foco do seu post pelo menos uma vez.

1.4 – Otimização de Imagem

O SEO para Imagens geralmente é esquecido ou negligenciado pelos webmasters, por mais que a optimização delas seja algo simples. Tudo que você precisa fazer é criar um Título, uma Legenda, uma Alt Tag – será uma alternativa caso a sua imagem não seja carregada, geralmente uma frase mencionando o que continha na imagem – e nomeando amigavelmente seus arquivos.

seo-para-imagens-wordpress

Nomear o arquivo corretamente significa não deixar algo semelhante ao permalink. Um típico exemplo são imagens buscadas em redes sociais onde o arquivo é salvo com vários números e caracteres – 12079496_10153800333808949_1609311504413521378_n.jpg -, nesse caso você deve renomear para algo como : foto-da-rede-social.jpg. Tente usar palavras que remetam ao conteúdo da foto ou do artigo no qual ela será inserida.

1.5 – XML sitemaps

Para dizer ao Google – e a outros mecanismos de busca também –  que seu site foi atualizado, é possível usar o método chamado XML Sitemaps. O Plugin SEO do Yoast já contém uma área para configurar seu XML Sitemap. Acesse Configurações -> XML Sitemaps e, caso a opção de habilitar já não esteja marcada, assinale ela.

sitempa-xml-wordpress

Assim que você tiver marcando a caixa e clicar em Salvar, o plugin ainda te dará algumas opções para configurar que geralmente não servem pra muita coisa. Além disso o plugin gera um XML sitemap pra todos os seus posts, páginas, modelos de posts customizados, todas as suas taxonomias como categorias, tags e – caso esteja aceitando – outras taxonomias customizadas. O seu Sitemap.xml e forma uma página como a imagem abaixo.

exemplo-de-site-map

Quando publicando um novo post ou pagina, o XML sitemap automaticamente submete um sinal para o Google e outros buscadores permitindo fácil acesso a encontrar o seu conteúdo novo. O cadastro do seu XML Sitemap é feito, no Google, dentro das ferramentas para Webmaster no menu Rastreamento > Sitemap.

sitemap-google-webmaster-tools-wordpress

Diferente dos outros plugins XML sitemap, esse plugin não gera arquivo estático, o que é um processo intenso, especialmente para grandes sites. Isso significa que não há “ação” na publicação, o que diminui a velocidade da publicação do post. Ao invés disso ele gera XML sitemaps como uma forma de modelo usando o WordPress rewrites, que é muito mais rápido e ao mesmo tempo permitindo que plugins de cache para armazenar em cache na saída.

Ele também é esperto em dividir esses sitemaps em partes menores, para que o Google só busque um novo XML Sitemap por atualização ao invés de verificar até partes que não foram alteradas.

 

2 – Otimização de Modelo

2.1 – Trilhas de Navegação – Breadcrumbs

A maioria dos temas com os quais eu trabalhei já possuíam uma funcionalidade de Trilhas de Navegação – ou breadcrumb em inglês – por padrão. Isso é algo que você deve ter em todas as suas publicações. São links, geralmente acima do título do post, que mostram o caminho que você tomou para chegar naquela página. Um exemplo seria: Página Inicial >> Categoria de Artigo >> Artigo. As duas principais vantagens de usar esse menu são:

  • Eles te permitem que seus visitantes naveguem com facilidade pelo site.
  • Eles permitem que os mecanismos de busca detectem a organização das páginas do seu site com mais facilidade.

Você vai encontrar as configurações de navegação estrutural em SEO > Avançado > Configurações de Links Internos.

configuracao-de-links-internos-wordpress

2.2 – Cabeçalho

Apesar da maioria dos temas para WordPress acertarem o cabeçalho, tenha certeza de que o título do seu post é sempre uma tag H1. O nome do seu blog também deve ser somente um H1 na página inicial. Em outras páginas, artigos e na barra lateral você deve aplicar apenas até o H3 e cuidar com os exageros.

Nos casos onde os temas erram essa configuração, você pode facilmente editar no arquivo post.php e page.php, só tenha cuidado para não modificar nada além dessas Tags.

2.3 – Limpe o seu código

É comum que temas e plugins tenham códigos sobrando ou sejam uma grande lixeira de código inutilizados. Isso acontece principalmente com os arquivos de JavaScript e CSS que crescem em muitas linhas trazendo um carregamento lento para o seu WordPress.

Para melhorar esse carregamento e limpeza desses arquivos você deverá usar uma técnica chamada Minify. Esse encurtamento de arquivos reduz as várias linhas de código em apenas uma, excluindo todo espaço e linhas desnecessárias no código. Infelizmente o plugin de SEO do Yoast não traz essa ferramenta, mas existem outros plugins que podem te ajudar nesse encurtamento de arquivos.

O W3 Total Cache ou o WP Super Cache incluem essa funcionalidade e diversas outras que são focadas na velocidade do seu site.

2.4 – Tenha velocidade como objetivo

Um fator muito importante – principalmente para o Google – é que a quantidade de páginas que um mecanismo de busca indexará, por dia, do seu blog depende do quão rápido elas serão carregadas. Existem 3 ações que podem ajudar a aumentar a velocidade de carregamento do seu WordPress:

  • Otimize o modulo para fazer uma pequena parte da database chamar as necessárias. Nós destacamos como fazer isso em nosso post sobre velocidade no WordPress.
  • Instale um plugin de cache. Nós recomendamos o uso do W3 Total Cache se você é tecnicamente experiente ou WP Super Cache se não for o caso.
  • W3 Total Cache funciona ainda melhor quando combinado com um CDN, mas isso é algo avançado e você precisará entender melhor como funciona essa ferramenta.

O Google disponibiliza uma ferramenta gratuita para verificar a velocidade de carregamento do seu site, que é o Page Speed. Ele testará tanto o carregamento no Desktop como em dispositivos móveis, o que torna ter um site leve muito importante já que os motores de busca, agora, dão mais valor para os acessos por mobile.

google-page-speed-wordpress

Um ponto válido em relação a velocidade é a qualidade da sua hospedagem. Não espere que seu WordPress carregue em poucos segundos se você está usando uma hospedagem ruim.

2.5 – Revise sua barra lateral

Você realmente precisa de links pra todos os seus blogs de amigos na barra do seu blog? Talvez seja sábio só fazer isso na página inicial, não acha? O Google e outros mecanismos de busca penalizam muito os sites com links diretos para a página inicial de outros sites sem que estejam no contesto de um artigo. Por mais que pareça estar ajudando, você na verdade está atrapalhando o ranqueamento do seu blog e dos seus colegas.

Use sua barra lateral do WordPress para algo mais inteligente como dispor outros links internos, suas redes sociais, botões de ação ou até mesmo se livre completamente dela no ambiente do artigo. Eu garanto para você que empilhar links na barra lateral não é uma técnica esperta de SEO.

3 – SEO WordPress avançado e conteúdo duplicado

Agora que passamos por todo o básico do SEO para WordPress, você vai descobrir que o restante dos seus problemas serão sempre ao redor de uma coisa: muito conteúdo duplicado. O WordPress classifica seus artigos de algumas maneiras diferentes pelas taxonomias:

  • Por Data
  • Por Categoria
  • Por Tag

Junto com isso, ele parece achar que você precisa clicar no formulário pagina por pagina começando pela página inicial até o primeiro post que você fez. Por último e não menos importante, cada autor tem seus próprios arquivos também, no diretório /author/nome-do-autor/.

Então, se fizermos as contas, você está publicando em 5 urls diferentes o mesmo artigo. Os buscadores não entendem que você tem uma organização dentro e consideram que você está duplicando conteúdo, por isso nós iremos corrigir essa indexação, ainda permitindo que essas páginas façam o seu trabalho.

3.1 – Noindex, Verificar páginas de arquivo e Desabilitar alguns arquivos

Usando como base a configuração feita no plugin WordPress SEO do Yoast, tenha certeza de prevenir indexação – ou até mesmo existência –  de arquivos de páginas que dupliquem o seu conteúdo. Você acessa essa configuração em SEO > Títulos & Metadaos > aba Arquivo.

configuracao-de-arquivos-por-data-wordpress

 

As configurações acima são do nosso site. Como você pode ver, nós desabilitamos completamente os arquivos baseados em datas. Qualquer link acessado pelo visitante que seja baseado em data levará ele para a página principal graças a essa configuração.

sub-paginas-nao-indexar-wordpress

Acessando as opções em SEO > Títulos & Metas > Geral você poderá desabilitar a indexação de sub-páginas, o que também é importante para evitar o conteúdo duplicado.

Em sites pequenos pode até fazer sentido não indexar categoria ou estrutura de tag, mas geralmente não faz diferença positiva ou negativa. Existe um tipo de arquivo que noindex,follow por padrão no plugin WordPress SEO: páginas de resultado de pesquisa. Essa é uma boa pratica do Google em que uma configuração é deixada assim, já que é o ideal.

O Google muda constantemente suas regras para o SEO, porém o plugin WordPress SEO deve acompanhar essas mudanças e nós pretendemos publicar os novos tipos de configurações aqui no Academia WordPress.

3.2 – Desative Arquivos Desnecessários

Se o seu blog é composto de apenas um Autor ou você não precisa de arquivos de autor, use o WordPress SEO para desabilitar os arquivos de autor. Caso você também não ache que precisa de arquivos baseados em data: desabilite. Mesmo que você não esteja usando esses arquivos no seu modulo, alguém pode fazer um link a eles e então quebrar o seu WordPress SEO.

3.3 – Paginação

É importante que o Google, ao enviar seu robô-aranha para indexar as páginas do seu blog, consiga alcançar todas as páginas do seu WordPress sem muita dificuldade. Se não, quando você está tendo vários posts em uma categoria, um robô-aranha pode ter que procurar cerca de 10 páginas antes de encontrar o link de um post mais antigo seu. Nada legal, né?

A paginação constrói uma navegação por numeração de páginas a medida que o conteúdo do seu WordPress cresce. Existe outra forma fácil de corrigir e ainda existem vários plugins que resolvem isso. Um dos mais antigos e indicados é o WP-PageNavi que aumenta suas opções de paginação e conserta qualquer dificuldade que os robos-aranha dos buscadores possam ter.

3.4 – Canônico

Em fevereiro de 2009, os maiores mecanismos de busca incluíram o elemento rel=”canonical”. Essa é outra ferramenta para ajudar na luta contra conteúdo duplicado. WordPress tem um suporte interno para elementos links canônicos em páginas ou posts, mas contém alguns pequenos bugs. Ele não emite ligações canônicas sobre qualquer outra página. Com o plugin WordPress SEO ativado, você vai automaticamente receber links canônicos de todos os tipos de páginas no WordPress.

4 – Estrutura de site para ranking alto

Blogs são lidos pelos buscadores tão facilmente graças a estrutura de categorias, tags e etc. Todo artigo é bem lincado e geralmente a marcação é clara, todas vantagens naturais do WordPress e do Plugin que estamos usando nesse guia.

Nessa seção do Guia iremos conversar um pouco sobre como Comentários podem ser uma vantagem e como usar Páginas em formato de artigos.

4.1 – Seção de Comentários

Comentários em um artigo, ou em qualquer conteúdo da internet, pode se tornar um grande atrativo para os seus visitantes como pode ser um inferno para você. Sem contar que existe uma longa discussão na comunidade de SEO sobre as vantagens e desvantagens dos comentários no seu ranqueamento. 

Uma desvantagem que é muito comentada é a repetição de palavras-chaves que os usuários podem fazer, involuntariamente, na seção de comentários. Segundo alguns profissionais – inclusive o criador do plugin que estamos falando aqui – diz que isso prejudica grandemente a sua indexação e preferem usar pouco ou até mesmo nem habilitar a seção de comentários. Algumas reclamações são direcionadas ao tempo que você leva para responder aos comentários e os problemas com SPAM.

Na minha visão, e de outros profissionais envolvidos com SEO, acredito que as vantagens de se manter um seção de comentários suprem consideravelmente os problemas. Principalmente por ser um grande atrativo para o seu visitante retornar o seu blog já que ele pode interagir com a sua publicação e deixar a própria opinião para debate. Outro ponto é que, em meus testes, nunca houve um vantagem grande no ranqueamento por não ter comentários em uma determinada publicação. Ou seja, muitas dessa afirmações de penalidade são um pouco infundadas e é preciso ter cuidado com o que se alega sobre a seção de comentários. 

4.2 – Uma opção interessante para as Páginas

Existe uma técnica interessante para artigos populares que ganham uma alta visitação ao longo do tempo. Com o objetivo de manter essa visitação e preservar a sua posição nas buscas, muitos especialistas – e o criador do plugin WordPress SEO – indicam o seguinte:

  • Criar uma nova página com atualizações e melhorias no conteúdo que está no artigo popular.
  • Mude a url amigável do post antigo para nome-original-post
  • Publicar o novo post usando a URL do post antigo, ou redirecionar o post antigo para a nova URL.
  • Envie um e-mail pra todo mundo que que lincou o seu post antigo dizendo que você atualizou e melhorou seu post antigo
  • Espere até que os links entrem novamente

É claro que não se deve abusar dessa técnica e muito menos usá-la para cada tipo de artigo seu, porém em conteúdos muito extensos e populares – como esse guia de SEO – é interessante usar essa abordagem para preservar e até mesmo incrementar o seu ranqueamento.

4.3 – Ligando os Artigos Relacionados

Uma forma de conseguir com que os mecanismos de busca encontre seu conteúdo antigo um pouco mais fácil, assim melhorando as capacidades do seu WordPress SEO, é usando um plugin – talvez seu tema já possua essa função – de artigos relacionados. Esses plugins procuram pela sua database de posts para encontrar posts com o mesmo tema e adicionam uma sugestão de nova postagem para o visitante.

artigos-relacionados-WordPress

O ideal é que o seu tema já tenha essa funcionalidade por padrão, permitindo que as indicações de artigos estejam alinhadas com o seu layout – veja que a imagem acima é desse blog.

4.4 – Pegue leve nas Tags.

Um dos problemas mais comuns que encontramos é o uso exagerado de tags. Note que uma tag em si não melhora o seu SEO. A única forma de melhorar seu SEO é relacionando uma parte de conteúdo com outra, mais especificamente um grupo de posts entre si.

5 – Otimização de conversão

Fidelize seus leitores e transforme eles em Assinantes do seu Blog. Acabou a época onde bastava você criar seu conteúdo original e os seus visitantes estariam sempre esperando uma nova publicação. Agora você precisa levar as novas publicações até os seus leitores, conversar com eles e transformar esse engajamento em visitação para o blog.

É claro que não é possível fazer isso um a um, logo você precisará de um sistema de disparo automático ou ao menos em massa dos seus artigos. A melhor maneira para se fazer isso é construindo uma lista de emails dentro de uma plataforma confiável e disparando novos artigos para essa lista frequentemente.

Redes Sociais são uma obrigação, mesmo que você tenha apenas 20 curtidas no Facebook ou 10 seguidores no Twitter. Pegar o hábito de compartilhar suas publicações deixará as tarefas mais fáceis a medida que seu público cresce, por isso não deixe de compartilhar e interagir com seus visitantes!

 

6 – Otimização de Comentários

Envolva esses leitores. Como já foi comentado mais acima e eu volto a afirmar, a seção de comentários é um dos aspecto importantíssimo de um blog.

Comentários não são apenas bons porque as pessoas lhe dizem como você é especial, ou que você cometeu um erro, ou qualquer outra coisa que eles tenham para lhe dizer. Acima de tudo eles são agradáveis, porque mostram o engajamento. E engajamento é o fator mais importante para conseguir que as pessoas linkem seu site.

Quando você da atenção a um leitor, a frieza da internet fica de lado e ele tem a sensação de estar conversando pessoalmente com você e com certeza indicará seu blog a outros conhecidos. Novamente, você converte o engajamento em visitação!

6.1 – Como fazer com que os visitantes comentem

A maneira mais fácil de levar as pessoas a fazer qualquer coisa é explicitamente pedir! Durante o seu artigo, tanto de maneira sútil como descaradamente, peça que seus leitores deixe uma mensagem nos comentários a respeito do que você está falando. Pode ser uma opinião, sugestão, dica ou crítica ao seu trabalho.

Seja simples e não tente enrolar, o seu visitante de ler uma direta!

Aproveite, ao responder um comentário, para colocar algum link importante. Com isso você ganha o engajamento e ainda redireciona o seu visitante para mais uma leitura no seu blog.

Por fim, mantenha a conversa viva!

7 – Off-site SEO

Se você seguiu e aplicou todas as dicas de como usar o WordPress SEO, você tem uma grande chance de se tornar bem sucedido na sua empreitada. Agora, a última etapa parece fácil, mas não é: Você precisará enfrentar o mundo!

7.1 – Siga quem Comenta no seu Blog

O que nós aconselhamos, é que você realmente siga seus leitores! Vá ao site deles, deixe um comentário nos artigos – um bom e bem pensado comentário – para ganhar ainda mais o respeito que você já conquistou com seus artigos. Se essa pessoa não tiver um blog, eu te garanto que ela tem uma rede social e pode acabar sendo um excelente contato para outras áreas da sua vida.

Se você acha que isso é muito trabalho, perceba que em média cerca de 1% de seus visitantes vão realmente deixar um comentário. Esse é um grupo de pessoas que você tem que cuidar e cativar, acredite.

7.2 – Procure blogs semelhantes ao seu e faça parcerias.

Pesquise no Google por Blogs que falem sobre o mesmo assunto que você e ao encontrá-los faça uma análise profunda sobre tudo que for apresentado nesse blog. Você tira proveito disso das seguintes formas:

  • Tendo novas ideias para artigos.
  • Conhecendo os leitores de outros blogs, porém que gostam do mesmo assunto que você escreve.
  • Comentando nos artigos sobre assuntos que você também gosta de escrever.
  • Criando backlinks para o seu blog nos comentários.
  • Fazendo parcerias com os autores desses blogs e podendo até trocar publicações entre blogs.

As vantagens são inúmeras e esse é uma trabalho bem prazeroso de se fazer.

8 – Medindo resultados

Não faz sentido você criar toda uma configuração SEO no seu WordPress, atender corretamente aos seus comentários e visitantes, buscar novos sites do mesmo nicho, criar os backlinks certos, porém não acompanhar seus resultados da forma correta. 

Para saber se sua estratégia está trazendo uma visitação constante e para analisar os dados de visitação do seu site não existe nada melhor – e gratuito – do que o Google Analytics.

google-analytics-para-wordpress

 

 

 

 

 

 

 

Faça seu cadastro dentro da plataforma e para ligar o seu WordPress ao Google Analytics basta instalar o plugin feito para isso. Esse módulo é do mesmo criador do plugin de SEO, logo eles trabalham perfeitamente juntos.

google-analytics-by-yoast

 

9 – Concluindo o Guia WordPress SEO

Este guia fornece um monte de coisas que você pode fazer em seu site WordPress, então coloque as mãos na massa e só me volte aqui com resultados! Eu sei que as chances de você ter criado milhares de dúvidas na sua cabeça é grande, por isso a seção de comentários é aberta para você deixar todas suas perguntas por lá. Eu irei responder e te ajudar na configuração do seu WordPress.

 

BLING
Daniel Leal

Daniel Leal

Eu escrevo para facilitar o aprendizado de outros daquilo que eu tivesse dificuldade em aprender. WordPress, WooCommerce e desenvolvimento de novas tecnologias são meus focos principais, mas marketing de conteúdo, negócios digitais e (mais recentemente) fintechs também ocupam uma parcela das minhas ideias e projetos.

1 comentário

  • Olá Daniel,
    Faz alguns dias que comecei a ler seu post e cnfigurar meu blog, alias, obrigada por partilhar este conteúdo tão completo, o nome do site faz jus!
    Mas, sempre tem um “mas” para os “pouca-pratica” depois de uns dias começou a acusar title duplicado nos meus posts, percebi quando pasei numa ferramente de verificação e olhando o código fonte dá mesmo para ver isso:

    Fachada de casa térrea: modernas sem telhado aparente – eh!DÉCOR

    Fachada de casa térrea: modernas sem telhado aparente – eh!DÉCOR

    Você poderia me orientar onde devo mexer para que não duplique o título como esta acontecendo?

    Agradeço se puder me ajudar.

Digital Ocean

Send this to a friend